Os perigos da tecnologia em excesso

Um dos assuntos que mais tratamos aqui no nosso blog – quiçá o mais postado – é a Tecnologia. Existem diversos conteúdos educando sobre os benefícios e vantagens da digitalização, mas, e os perigos da tecnologia? Esse avanço tecnológico pode ser perigoso? Como isso afeta a minha clínica?

Tudo em excesso faz mal… você, provavelmente, já deve ter assistido – ou pelo menos ouvido falar – da série Black Mirror. Ela retrata como que o abuso da tecnologia pode ser perigoso à nossa existência.

Em um futuro próximo, o diretor da série imagina que iremos brigar por tecnologia; que dados e informações pessoais serão compartilhados em frações de segundo para qualquer empresa ou pessoa; e que não precisaremos nem sair de casa para “viver” nossas vidas (o que, logicamente, destrói a vida humana em sua essência).

Mas, apesar de alguns paralelos e referências externas para ilustrar melhor as ideias, o conteúdo vai dizer muito sobre a rotina da clínica e sobre a influência negativa ou positiva da tecnologia nessa área da medicina. Confira!

Máquinas X Trabalho Humano

As máquinas substituem o trabalho humano?

Sim. Milhares de pessoas são desligadas do trabalho por conta da automatização. Para o dono de uma companhia, é muito mais interessante comprar uma máquina que faz todo o trabalho de uma pessoa do que pagar mensalmente um indivíduo para tal.

Nas clínicas não é diferente. Hoje, existem diversos consultórios que utilizam Totens automáticos na recepção, bastando a pessoa se dirigir à máquina e agendar a sua própria consulta (dispensando o trabalho de uma recepcionista).

E qual o cenário ideal?

Equilibrar a tecnologia com a humanização é fundamental, a máquina tem que auxiliar o Ser Humano, e não substituí-lo. Em se tratando da área da saúde, por que não atribuir o agendamento inteligente como uma função a mais para as recepcionistas da clínica?

O ClinicWeb, por ser um eficiente software de gestão, concilia essas duas frentes. A recepcionista ou secretária consegue fazer o agendamento e o atendimento dos pacientes de forma muito mais prática e eficaz, consultando todas as ferramentas da aba “Recepção”.

E-mails personalizados, SMS com lembretes pré-consulta e outras funcionalidades podem ser disparadas com apenas alguns cliques da sua funcionária, fidelizando cada vez mais os seus clientes com um atendimento humanizado e de excelência.

Assim, você não precisa dispensar nenhum funcionário e tampouco abrir mão da tecnologia.

Segurança

Tecnologia, pelo menos, é sinônimo de segurança, certo?

Nem sempre! A tecnologia, ao mesmo tempo que pode ser muito segura, pode também ser extremamente vulnerável.

Hackers

Na verdade, o termo correto para personificar os perigos da tecnologia não é nem “Hacker”, mas sim “Cracker”.

Em um aspecto geral, os hackers não são maléficos, sendo capazes de usar seu amplo conhecimento em informática de forma positiva e podendo, até mesmo, atuar protegendo instituições e companhias.

Já os crackers são os famosos “cibercriminosos”. Aqueles que – também com amplo conhecimento em informática – agem de forma ilegal e desonesta, visando ganho financeiro. São, portanto, os responsáveis pelo desenvolvimento das ameaças digitais a que toda empresa está sujeita.

Mas quando que a tecnologia se torna vulnerável na clínica?

Atualmente, os perigos da tecnologia vêm à tona em sua clínica médica quando você utiliza de um sistema de gestão local. Ou seja, quando você se sujeita a diversos problemas que podem ocasionar na perda de todos os dados clínicos e dos seus pacientes.

Um software local até pode ser programado para que o acesso ao sistema seja feito apenas por meio de senhas. Porém, ainda assim, não é tão seguro quanto um “cloud computing”.

Isso porque, além da senha, o software em nuvem pode criar um histórico de acesso e conta também com funcionalidades que limitam as ações que cada um dos usuários do sistema pode executar. Além disso, faz a criptografia dos dados, aumentando os níveis de proteção.

O ClinicWeb, por ser na nuvem, atinge o tão desejado nível de segurança, deixando a vulnerabilidade e os perigos da tecnologia longe das clínicas. O seu armazenamento está imune a extravios, roubos, desastres naturais e qualquer outro problema. A única coisa que você deve preservar é o seu Login e Senha (e pra quem compartilhá-los).

A Vitta conta com um programa de gestão certificado SBIS-CFM NGS2, o mais rígido nível de garantia em segurança para softwares de gestão médica. O selo garante a maturidade técnica de desenvolvedores e validade jurídica a partir de qualquer assinatura digital feita nos prontuários.

Você deve estar se perguntando: mas quais são todos os níveis de segurança para este tipo de sistema? O ClinicWeb tem todos?

Existem dois níveis de segurança para esses sistemas:

NGS1

Contempla uma série de requisitos obrigatórios em segurança, como controle de versão do software, acesso e autenticação, além de comunicação remota, auditoria e documentação. Tudo para comprovar a segurança dos seus processos.

NGS2

O nível mais elevado de segurança inclui todos os requisitos anteriores e ainda exige a utilização de certificados digitais para autenticação e assinatura.

A Vitta, definitivamente, não compõe esse cenário de desordem tecnológica, e está no mercado para facilitar a vida do profissional da saúde e de quem usa de seus serviços.

Hoje, em sua base de dados, o ClinicWeb tem mais de 56 mil interações medicamentosas identificadas de forma automática; mais de 2 mil pacientes agendados online; e mais de 12 mil prontuários assinados digitalmente no último semestre.

Você gostou do conteúdo deste post? Deixe o seu comentário opinando sobre os perigos da tecnologia em excesso e não deixe de acompanhar o nosso blog!

Lucas Menezes

Lucas Menezes

Publicitário, autor do livro "Versos e Versões", faz parte da Antologia Poética Brasileira e valoriza a riqueza da cultura nacional. Atualmente, é Owner de Conteúdo na Vitta e trabalha para transformar a saúde no Brasil.

8 Comentários

  • Alicia
    4 de dezembro

    Achava que hacker era o que roubava informações

    • Lucas Menezes
      4 de dezembro

      Nem sempre, Alicia! É sempre bom pontuar as diferenças…

  • Roberto Paquetá
    4 de dezembro

    Minha clínica ja foi hackeada/crackeada, tivemos um enorme prejuízo

    • Lucas Menezes
      4 de dezembro

      Olá Roberto, tudo bem? Você fazia a gestão local ou na nuvem?

      • Roberto Paquetá
        12 de Janeiro

        local

        • Lucas Menezes
          12 de Janeiro

          Entendi, um bom sistema de gestão na nuvem evitaria todo esse prejuízo. Acesse o nosso site http://www.clinicweb.com.br ou ligue para o telefone 0800 878 8134 para falar conosco e entender como.

  • Paulo Pianucci
    4 de dezembro

    Black Mirror é a melhor série disparada!

    • Lucas Menezes
      4 de dezembro

      Obrigado pelo comentário Paulo. Eu, particularmente, também acho!

Deixe o seu comentário